quarta-feira, novembro 24, 2010

.: ¿? :.



Permita-me matar-te em mim...


Renata Zonatto

15 comentários:

Carlos disse...

Novo post! uhu!

Será que ficarei em primeiro nos comentários?

Carlos disse...

Primeirãoooooooooo! hahahaha

Post filosófico esse...

Estou tentando decifrá-lo.

Lucas Esteves disse...

Pra quem não quer - só hoje - encarar a vida, isso é um tanto corajoso :-)

Atziel disse...

Deixe viver...

Edward de A. Campanário Neto disse...

Penso nos amores aos quais não suportamos carregar ou não alcançamos jamais. somente a morte deles pode evitar nossa própria morte.
E isso pode ser levado para muito além do amor eros, indo ao campo do desapego que se faz essencial diante de muitas possibilidades, sonhos e vislumbres de existência.
Adorei Renata!

Agostinho Lopes disse...

Onde será o velório?

Levo flores ou ácido muriático, para facilitar o trabalho da terra?

hehehe

Agostinho Lopes disse...

Onde será o velório?

Levo flores ou ácido muriático, para facilitar o trabalho da terra?

hehehe

leo disse...

Deus abençoe....
... a América.

Lidiane disse...

Força interna, libertação e isso cabe a tudo... Não é só uma questão de morte e sim de sobrevivência!

ABB disse...

Permitido!
Não sangre!
Não sofras!
Não morras também!

Escrever Pra M'Entender ... disse...

Nossa gente!
Eu achei isso tão completo e tão instigante que me atreveria numa interpretação, mas isso por si só já diz mais do que podemos ler!

Um dos posts MAIS BACANAS!
Muito bom!


=)

Kah disse...

Morrer é bom, a gente nasce e morre um pouquinho todo dia, em relacionamentos a gente sempre se mata um pouquinho pra conseguir conviver :P

mihaelo disse...

Olá Renata: consegui achar o teu blog novamente. O link teu no meu blog é que não está funcionando, a logica das empresas de internet é terrível, só o que interessa é o dinheiro. Buenas, o teu blog é ótimo, tuas poesias já seriam para um ou dois livros.Boa viagem e bons estudos em Baires.

Sobrepuja - se disse...

Ahh sem palavras!

lindo!

Renata disse...

Uma poeta maravilhosa!
Rê,quando for escrever seu livro, me avise!
Adoro tudo o que tu escreve e da forma que escreve!
Abraço.